domingo, 13 de fevereiro de 2011

A história de Carlos Laranjeira

Jose Carlos Laranjeira Marques, ou simplesmente "Carlinhos" - como era carinhosamente chamado por seus familiares - foi um ator, dublador, modelo e cantor brasileiro. Natural de Santos - SP e caçula de uma família de 6 irmãos, pôde, por intermédio da dublagem, deixar cravado nos ouvidos das crianças dos anos 80 o sinônimo de herói, em sua maioria, de olhos puxados.

Nasceu em 10/07/1956, e seu trabalho chegou até mim em meados dos anos 80, por intermédio das tão aclamadas séries japonesas importadas pela Everest Video e dubladas na Álamo. Já em 1986, deu vida ao Boomerman, o amigo do Jaspion, interpretando um papel não tão grande, mas digno de admiração. Fez também algumas pontas em Changeman, mas foi na pele do Francês Pierre Bonaparte, do Comando Triplo Dolbuck, que o trabalho do Laranjeira teve mais destaque.


Em seguida, cerca de pouco mais de um ano, foi escalado pelo inigualável Líbero Miguel para co-estrelar mais uma série nipônica, ao lado de jovens talentos que vinham desabrochando nesta época, como Francisco Brêtas e Christina Rodrigues; e assim, ao lado de Lúcia Helena Azevedo e Eduardo Camarão, surgia o Comando Estelar Flashman, série que foi lançada em DVD no finzinho de 2010, e já abordada neste blog.

Com o boom desse nicho de seriado na TV daquela época, mais séries tokusatsu foram chegando, e Laranjeira disseminando seu talento. Mas aqui cabe um parêntese: Em 1989, a Rede Globo, que não tinha um histórico de proximidade com produções oriundas do Japão, estréia um anime chamado Zillion, exibido aos Domingos daquele ano. De um momento para outro, a animação cai no agrado dos "baixinhos", e a qualidade da animação - aliada ao carisma de seu protagonista J.J. - consagram de vez o casamento perfeito entre personagem/ dublador. E quem estrelava o seriado? Sim, o Laranjeira.


Logo, chegaram mais 2 séries na tela da Manchete, desta vez por intermédio de um novo distribuidor, a Top Tape: Jiraiya e Lion Man. Novamente o ator participou ativamente da dublagem, fazendo a voz de um alidado do Ninja Olimpíada e algumas pontas e vozeirios no seriado do Homem Leão. Mas o destino reservara à ele um novo protagonista na próxima série a chegar no Brasil: Jiban, o Policial de Aço, uma espécie de "Robocop" japonês que subitamente caiu no agrado das crianças e marmajos que se deliciavam em frente a telinha da Manchete.


Mais séries desembarcavam, e Laranjeira sempre estava por lá, seja em pequenas pontas (como em Machineman, Goggle V e Metalder) ou personagens coadjuvantes, como o Capitão Gyaban no seriado Sharivan. Nas 3 últimas séries dessa época, co-estrelou novamente Maskman, fazendo o Kênta/ Black Mask, e fez pontas em Spielvan e Black Kamen Rider.


Depois disso, a febre foi cessando, e os seriados foram levados em "banho Maria" na TV, e aos poucos desapareceram. E com eles, a voz do Carlos. Eu, que já tinha meus 12 anos, continuava vendo programas dublados, a maioria pela própria Álamo, local onde o profissional "reinava", mas sentia falta daquele timbre marcante. Vi Doug, Mundo de Bobby, Homem Aranha, Mortal Kombat, Beakman, Street Fighter, os (muitos) animes da Gota Mágica, dentre outros programas, e nada de sua voz.

Mais pra frente, já no final dos anos 90, tive a oportunidade de acessar a internet pela primeira vez. Dentre outros assuntos, dublagem foi um dos que pesquisei, e assim, cheguei a triste informação de que esse dublador já havia falecido. Fiquei triste, mas jamais me contentei com essa informação "vaga". No entanto, naquele momento, nada poderia ser feito.

Muitos anos se passaram, e desde o final de 2006, quando botei na cabeça esse meu projeto individual de pesquisa sobre dublagem, pude amadurecer um pouco esta idéia. Foi então que cheguei onde queria, depois de muito, muito pesquisar.

Encontrei ninguém menos que a Nancy Marques, a sobrinha do Carlinhos. E foi aí que consegui a declaração MARAVILHOSA que tenho a honra de compartilhar com vocês, caros leitores: abrindo as aspas para contar - por intemédio da sobrinha e seus familiares - a vibrante história deste profissional ímpar:

“Meu tio percorreu um longo caminho, nem sempre fácil, mas que lhe permitiu dizer: ”VIVI”.

Ele começou sua carreira ainda muito novo, em meados dos anos 60 como cantor, na Rádio Atlântica, fazendo o teatrinho de brinquedo, ao lado de outro menino do morro, Luiz Américo.O passo seguinte foi a televisão, os programas de Calouros. Meu tio participava de todos e chegava até a final, mas então era desclassificado por ordem de superiores, pois naquele momento não era interessante um desconhecido ser o grande vencedor, assim, sempre tinha algo que o prejudicava no final das contas.

Ele sempre impressionava os maestros porque tinha muita facilidade de cantar qualquer ritmo, mesmo nunca tendo feito aulas de canto. Numa dessas apresentações, Canarinho que na época fazia o Sítio do Pica-Pau Amarelo, viu e gostou. Ele tinha um programa na extinta TV Excelsior - Canal 9, e meu tio foi participar do quadro de calouros (pela minha pesquisa o único que soube aproveitar o talento dele foi justamente o Canarinho), passou por todas as eliminatórias e saiu finalmente vencedor. Após essa vitória, novos convites apareceram, entre eles para fazer “Essa Gente Inocente”, no mesmo canal 9.

Nesta época, Agnaldo Rayol - no auge da carreira – era o Rei da Voz, (pelo que pude descobrir ele tinha um programa na Record, viu meu tio e pediu para convidarem-no para participar do concurso o Rei da Voz Infantil. Meu tio cantou a música “A Tua Voz”, do próprio Rayol. Em determinado momento, Agnaldo entrou em cena, pegou-o no colo, e sob aplausos da platéia, cantaram juntos. Quando ele voltou pro morro, todos queriam dar os parabéns. Ele era realmente um sucesso!!

Em 1970, começou a fazer teatro amador, primeiro no colégio, depois no movimento de Ação Secundarista. Decidido que era o que queria para si próprio, voltou para São Paulo afim de se profissionalizar. Fez teste e foi aprovado para trabalhar na peça “Lambe Beiço e Seu Criado Cata Farelo”, dirigida por Amilton Monteiro, e que tinha no elenco atores da consagrada TV Tupi. Atuou também nas peças “Flauta Mágica”, dirigida por Kleber Afonso, “A Verdadeira História de Pinocchio" (onde obteve a indicação para o Prêmio Revelação do Ano), “A Bela e a Fera” com Laura Cardoso no elenco (em 1987), e um ano antes fez "Evita".

Então, em 1976 ele começou a fazer comerciais para TV, conseguindo projeção com o comercial do Sorvete Copa de Ouro. Neste período, entre 1976 até 1979 fez mais de 70 comerciais. Logo em seguida procurou Alexandre Labianco, mas naquele momento não havia nenhum trabalho, só que pouco tempo depois, como Alexandre já sabia do talento dele, o convidou para participar da telenovela Roda de Fogo, na Tupi. Assim, com a graça de Deus, novas portas começaram a se abrir, e acabou fazendo “O Direito de Nascer”, onde interpretou D. Jorge Luiz Bel Monte, quando jovem. Atuou ao lado de Beth Goulart, Susy Camacho, dentre outros. Paralelamente, fez no teatro “Sexo Furado” (também de Kleber Afonso), com Silvio Rocha e Liza Negri. Nas telenovelas, o coordenador Carlos Zara pretendia criar uma dupla romântica formada pelo Laranjeira e Susy Camacho, mas acabou não acontecendo, uma vez que Zara fora para a Rede Globo, e nesta época ele ficou desempregado, voltando para Santos. Um dia, Claudir Guimarães, o convidou para fazer uma remontagem de Pinocchio, e nesta mesma época outra telenovela, desta vez na TVS, “Anjo Maldito”.

Nas dublagens ele era muito conhecido por sua voz calma e suave, e fez inúmeros trabalhos como dublador, mas ficou realmente conhecido nos seriados japoneses, os chamados tokusatsu. Pegou a “febre” já começo, em 1986, fazendo Jaspion (Boomerman), Flashman (Go/ Blue Flash), Jiraya (Yanin Spyker), Naoto Tumura/ Jiban, Maskman (Kenta/Black Mask) e algumas pontas nos outros seriados do gênero. Nos animes deste período ele também gravava: fez a voz do protagonista J.J. de Zillion e o Pierre, no Comando Triplo Dolbuck.

Falam que ele fez o Raphael em As Tartarugas Ninjas - O FILME, mas não sei se esta informação é verídica.

Meu tio era um batalhador e adorava o que fazia, e tudo o que se propunha a fazer, era com imenso e intenso amor. Um eterno apaixonado pelas artes, seja ela em qual ramificação fosse.

Quero agradecer em nome de toda minha família, a todos os fãs do meu tio, e sei que onde quer que ele esteja, ele se sentirá muito feliz em saber que é lembrado ainda hoje por todos. Foi muito bom ter alguém como ele em nossas vidas, só quem o conheceu de verdade sabe o que foi cada sorriso, cada brincadeira, cada abraço, mas infelizmente não o temos mais aqui, e o que nos conforta desde sua partida é saber que muitas e muitas pessoas o admiram tanto quanto nós. Nossa família tem uma estrela, que mesmo longe continua a brilhar intensamente.

Muito obrigada Ivan, por você se esforçar para manter viva a memória do meu Tio Carlos Laranjeira.”

E como um artista nato e dono de uma voz linda, é claro que também foi cantor. Chegou a gravar um disco, com um estilo pop romântico no auge da carreira, lançado em 1991, mas devido ao seu falecimento, no dia 15/05/1993, não pode divulgá-lo e nem desenvolver nenhum tipo de trabalho em cima do álbum. Confiram a capa do Vinil e a lista de músicas contidas no lançamento:

- Bala de Hortelã;
- Coca e Poesia;
- Como uma Luz;
- Debaixo das Cobertas;
- Eletrizando;
- Luzes Neonescas;
- Rock B - à - Bá;
- Sinceramente.

Ouça um pot-pourri com um trecho de cada canção clicando aqui!

Veja a interpretação de Carlos Laranjeira na série Jiban, dialogando com sua inseparável amiga Lúcia Helena Azevedo:



Quero deixar registrados o meu ETERNO agradecimento a Nancy, que se propôs a levantar essas informações com seus tios da família Laranjeira, para que eu pudesse realizar esse sonho em saber e poder contar um pouquinho mais sobre a vida e a carreira desse marcante profissional que foi o Carlos Laranjeira. Sucesso eterno aí no Céu, Carlinhos.

46 comentários:

Marco Antônio dos Santos disse...

Parabéns Ivan ! Sensacional a tua pesquisa. Sabemos o quão difícil é encontrarmos parentes dispostos a fornecer dados sobre um dublador.

Sem dúvida, Carlos Laranjeira é um grande artista que, assim como muitos, estava esquecido!

Merecida homenagem!

Postagem excelente!

Michel disse...

Como sempre, Ivan, excelente homenagem! Como pode, um blog como o seu ter tão poucos comentários? Vamos lá pessoal, vamos comentar...rsrsrs! Sem dúvida, a voz do Carlos Larangeira é uma das que mais ficou evidente nos seriados japoneses. E a voz dele parece que casava com o personagem, entende? E principalmente em animes, quando não requer o movimento labial. O J.J., interpretado pelo Larangeira ficou fantástico, não devendo nada em relação ao dublador japonês, o Toshihiko Seki (que estava debutando na dublagem em Zillion). E o timbre de voz do Larangeira era sempre o mesmo, qualquer que fosse a série. Era fácil de reconhecer. Eu soube do falecimento dele em meados de 95/96 (creio eu), quando comecei a frequentar a Gibiteca Henfil e ouvi o comentário de alguém.

Will disse...

Quando cheguei na Álamo, e sentei-me no sofá que tinha para nós, novatos, dentro do estúdio da Nair, para aprendermos, Laranjeira foi um dos primeiros que vi na bancada. Humilde e solidário, foi um dos primeiros a conversar técnicamente comigo sobre dublagem com a generosidade das pessoas do bem. Homenagem mais que merecida! Parabéns!

Spyker disse...

Olha, tenho que lhe dar os sinceros parabéns por mais essa. O homem, o mito, Carlos Laranjeira está totalmente desvendado. Grande trabalho e a Nancy foi uma grande mão na roda. Vamos em frente com Gastão Malta, Waldyr Wey e Oswaldo Boareto, porque esses também merecem, e muito. Já perguntei ao Mauro Eduardo pelo orkut, mas ele me deixou no vácuo ¬¬ ... Abraço e congratulations!

Zhou disse...

Parabéns pela matéria. Quando eu era criança, gostava tanto da voz e da atuação de Carlos Laranjeira que qualquer personagem dublado por ele virava automaticamente meu favorito da série.

Assim como você, estranhei a ausência dele nas dublagens paulistas a partir da segunda metade dos anos 90, e fiquei muito triste ao saber de seu falecimento.

Só o que tenho a acrescentar é que quem fez a voz de Rafael no primeiro filme das Tartarugas Ninjas foi Eduardo Camarão. Talvez o tenham confundido com Laranjeira porque eles trabalharam juntos em muitas séries, principalmente Flashman e Zillion.

Betarelli, Ivan D. disse...

Marco Antonio -> Vc teve uma parcela de contribuição para esta postagem meu amigo, mas acabei esquecendo de creditá-lo. Mas não se preocupe, no futuro eu vou compensar isso. Muito obrigado pelo comentário;

Michel -> Não me preocupo com os poucos comentários, pois sei que a grande maioria não liga para essas coisas, mas lêem com certeza o texto. Vc meu amigo, sabe bem do que estou falando. Mas fico contente em disseminar minhas "matérias" sem esperarar nada em troca, assim, qualquer feed-back, me deixa muito contente;

Will -> É um prazer receber um comentário seu, que teve oportunidade de conviver com o Laranjeira. Grande abraço;

*apenas pra constar, o "Will" aí em cima é nada menos que o Will Damas, que fazia a voz do Kurôda/ Goggle Black em Goggle V. Grande dublador.

Spyker -> Valeu Mario, obrigado pelas congratulações. Dos nomes que vc citou, todos merecem sim uma digna homenagem, e com certeza vou me empenhar ao máximo para conseguir. Abraços;

Zhou -> Bem vindo ao Falando de Dublagem e obrigado pelo comentário. Cara, vc saberia me dizer o elenco todo deste filme das Tartarugas Ninja com a dublagem de SP? Abraços.

Zhou disse...

Ivan, eu não sei quanto ao elenco completo da dublagem do filme, mas na Wikipedia listam os papéis principais:

April O'Neil - Rosa Maria Baroli
Casey Jones - Flavio Dias
Raphael - Eduardo Camarão
Leonardo - Wendell Bezerra
Michaelangelo - Tatá Guarnieri
Donatello - Mauro Eduardo
Mestre Splinter - Walter Breda
Shredder (Destruidor) - José Parisi Jr.
Pontas: Carlos Laranjeira, Francisco Bretas
Locutor: Élcio Sodré

Quando aluguei esse filme em VHS, lembro que estranhei bastante o fato de não terem usado o mesmo elenco da série de TV, que foi dublada no Rio, mas acabei curtindo a dublagem mesmo assim.

Aliás, durante os créditos finais o locutor lista o elenco. Procure no YouTube, que teve um cara que fez upload do filme inteiro dublado.

Betarelli, Ivan D. disse...

Valeu Zhou, obrigado. Já achei o Canal do cara que vc citou, e agora só falta um tempinho pra poder assistir completo essa dublagem.

Abraços.

Ricardo Cerdeira disse...

Parabéns pela matéria. Já havia elogiado seu trabalho de pesquisa da postagem anterior, mas essa conseguiu superá-la.

Muito bom saber mais sobre a vida e a carreira do Carlos Laranjeira. Realmente ele fez um trabalho magnífico. Felizmente parte de seu trabalho ficará eternizado com o lançamento das séries em DVD.

E não custa nada torcer para que o eventual lançamento de Jiban pela Focus venha com os dois últimos episódios dublados. Tenho muita curiosidade em ouvir a interpretação do Laranjeira nesses episódios.

Betarelli, Ivan D. disse...

Olá Cerdeira, obrigado pelo comentário.

Não há dúvidas que estamos na expectativa de que o Jiban saia completo pela Focus, pois também tenho uma curiosidade enorme em ver o (fraco) final de Jiban na voz do Laranjeira. Mas sei lá... ando meio preocupado com isso...

Anônimo disse...

Oi agradável este blog parece bem posicionado.........bom estilo:)
Gostei muito Continua deste modo !

Anônimo disse...

Nossa.... Linda a história de vida do Carlos Laranjeira, apesar de ter sido breve.
Já sabia dele ter sido cantor. Tinha uma voz linda mesmo e muito talentoso. E era lindo tb....

Pena ele ter ido embora tão cedo... Uma perda q eu, como fã de dublagens desde a época dos tokusatsu q passavam no Brasil no fim dos anos 80 e início de 90 lamento. De verdade.

Muito obrigada pela matéria, Ivan! Adorei!!!

Ingrid Luise.

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Ingrid, sou muito grato pelo comentário.

Abração!

Luiz Uchiha disse...

Boa tarde Ivan, estou tentando contato com vc, gostaria de falar sobre o 4º box do fullmetal alchemist lançado pela focus filmes, queria o e-mail deles para reclamar do lançamento que veio com cortes!!! Acho que seria também uma boa pauta para o blog! Meu twitter luizfernandopm

Abraços

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Luiz, o e-mail que costumava mandar pra eles era o contato@fivefilmes.com.br, mas parece que não estão respondendo mais. Acho que o mais rápido/ prático seria vc escrever, imprimir, e mandar um fax, a/c Afonso Fucci.

Obrigado pela sugestão de pauta, mas infelizmente não conheço nada a respeito desses animes mais novos...

Um abraço.

Ivan.

Luiz Uchiha disse...

Valeu Ivan, vou tentar falar com ele mandando esse fax, coisas assim tem que ser feitas para que as empresas levem a sério nós consumidores.

Abraços

Betarelli, Ivan D. disse...

Tomara que vc consiga feed-back, Luiz. Como vc disse, atitudes tem que ser tomadas pra não passarmos de bobo. Mas peço que seja coerente, e escreva críticas construtivas, e não um monte de xingamentos, pois desta forma, simplesmente vão descartar sua mensagem. Foi falando com jeito, dissertando coerentemente que consegui retorno.

Um abraço e boa sorte!

Nancy Marques(Nana) disse...

Olá Ivan,Fiquei muito satisfeita em ver que a Homenagem ao meu tio Carlos Laranjeira Ficou linda demais,meu tio era um máximo uma pessoa muito generosa e humilde uma pessoa como poucas,Muito Obrigada por Você manter viva a memória dele.
minha familia Gostou muitíssimo do Blog.

um Grande abraço a tdos os fãs do meu tio.

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Nancy, muito obrigado pelo comentário e pelas palavras.

Como eu te disso ontem pelo Facebook, agora os fãs que buscarem por CARLOS LARANJEIRA na internet terão um lugar onde saber um pouquinho mais sobre a linda carreira e um pouco da vida desse profissional que marcou época.

Agradeço a vc e a sua família do fundo do coração por ter me proporcionado a realização deste sonho.

Um abraço e tudo de bom pra vc, seu marido e sua família.

Great Mazinger VS Grendizer disse...

caraca...
este dublador era uma fera
fora ele ainda tinha o Newton Damatta(também está descansando em paz)
tem o Waldyr Sant'anna (muito foda ele)
Selma Lopes, Peterson Adriano(esse é um mestre ele consegue fazer várias vozes fora que ele foi o dublador mais novo começou aos 9anos e aos 19 dirigiu dublagens \o ),Nair Amorim (ela é muito boa; se eu tivesse um estúdio de dublagens eu faria de tudo para chamar ela para fazer as dublagens \o),Marco Ribeiro(ele fêz muitas dublagens e é o dublador principal do Jean Carrey aqui no BR também ele dubla o Yusuke (YuYu Hakusho),Miriam Ficher(toda dublagem que ela faz é foda) entre também uns dubladores SP que não poderiam faltar ^^

Luiz Uchiha disse...

Bom o próprio Sr Afonso Fucci me ligou hoje dando retorno ao meu fax, conversamos por pelo menos 20 minutos, ele pediu desculpas pelo transtorno, reconheceu o erro e disse que esta cobrando a impresa que envio o master pra eles para uma resolução do problema, que não vai ser do dia pra noite pode demorar uns meses mas que ele pretende resolver o problema possivelmente com o box relançado, então me enviaria o box novo sem nem precisar devolver o antigo já que eles também acabariam tendo custos de correio e tal. Ele disse que não crucifixa pelo erro pois a intenção dele foi das melhores, tentou dar aos fãs o que pediam pois a focus não queria sequer terminar a série, ele disse que “encheu o saco” da empresa pra que fosse lançado mas que infelizmente acabou tendo esse problema. Ele disse que um dos problemas que ele tem é não conhecer a série por isso não saber exatamente quando um material é mandado na integra ou não(no caso falando dele mesmo), falei pra ele pra trabalhar com a mesma empresa que foi feito os 3 primeiros box, pois eles estavam em ótimas condições, ele me disse que a empresa que fez os 3 primeiros box não esta mais trabalhando com eles… ele disse que de 4 anos para cá a empresa perdeu 60% do mercado, tiveram uma grande redução de funcionários e também por esse motivo tiraram o e-mail do site já que o pessoal que respondia acabou sendo demitido para cortar gastos.

Ele comentou sobre a série hunter x hunter que teve problemas também e por isso ele quis ajudar para fecharem o fullmetal, eu comentei que nem sabia que haviam lançado o hunter x junter nem mesmo esse último box do fullmetal que talvez a campanha de marketing não tenha sido forte o bastante, ele disse que eles sabem que não vale a pena investir pesado no marketing nesses produtos que não vendem, que quando vai produzir um box o mínimo é 100 mil unidades sendo que o último venderam 100… que o pessoal lá da focus estava gastando muito dinheiro e tendo prejuizo lançando inclusive cards com os box.

Eu disse a ele que se ele precisasse de ajuda ele poderia enviar um e-mail, pois nós que somos fãs temos interesse em ajudar, ele disse que sim, que inclusive estaria colocando meu e-mail na base de dados dele, disse também que pretendem lançar Jiban no mercado mas que ele esta tendo uma tremenda dificuldade com a questão de aúdio pt br, pois esses audios da tv manchete são intocáveis, que algumas series o audio esta com o Toshi e que ele costuma comprar dele mas que no caso do Jiban ele só tem imagem e o aúdio esta complicadíssimo, talvez até se fosse o cara teria que pegar o audio com fãs, o mesmo ocorre com Kamen Rider Black.

Enfim conversamos bastante, fica difícil transcrever cada detalhe da conversa aqui, eu disse a ele que acho nobre da parte dele tentar trazer para o Brasil esses produtos para fãs, que desejo que o Brasil tenha esses produtos no mercado, que mesmo eu tendo assistido full metal por fansubs quando eu soube do lançamento fiz questão de incentivar a indústria comprando os box. Ele agradeceu e disse que isso é muito importante e que pretende continuar trazendo essas séries para nós, mas que pra ele é muito dificil as vezes ajudar pois o nome dele fica prejudicado como no caso do fullmetal, mas que tudo bem, ele iria dar a cara pra bater e que iria fazer de tudo pra contornar a situação e resolver esse problema com os fãs, que inclusive um outro fã entrou no procon contra a empresa mas ele conversou com o fã e o fã retirou a ação e entendeu o problema.

Bom é isso pessoal, desculpa ai algum erro no texto, tentei contar com detalhes a nossa conversa, talvez tenha faltado alguma coisa mas é o que me lembro no momento, acho importante os fãs reconhecerem o esforço que a focus filmes e o Sr Afonso estão tendo para nos agradar, lógico que eles tem fins comerciais, todas as empresas tem, mas eles estão fazendo algo que nenhuma empresa fez até hoje, olhando para nós fãs de tokusatsu e animes no Brasil.

Anônimo disse...

parabéns ivan, realmente o carlos éra um ótimo dublado, tenho o anime do zillion dublado e eu e meu irmão damos risadas com ele, parabéns mesmo

Betarelli, Ivan D. disse...

Valeu amigo, obrigado pela congratulação. Zillion foi um excelente trabalho do Laranjeira. Pena que a versão que tem pra Download na internet tem áudio terrível, baixo, abafado...

Betarelli, Ivan D. disse...

Luiz - que bom que ele te deu uma resposta. Pelo menos da minha parte, não percebo má fá por parte do Afonso, apenas uma falta de assessoria, e só por aceitar falar sobre o assunto abertamente já é uma atitude nobre, pois ele aceita dar a cara a tapa. E tem tentado resolver os problemas conforme as coisas vão caminhando.

Abraços.

Márcio disse...

o mais engraçado deste vinil eh que os sorriso dele lembra bem do Naoto

Marcelo Almeida disse...

Excelente homenagem, percebi que o Laranjeira não era tão escalado, era bem mais comum ouvir a voz do Eduardo Camarão em filmes. O Laranjeira foi notado mesmo só em tokustatsus, parece que ele teve mais oportunidade na Álamo mesmo, infelizmente mais dos que faleceu quando tava no auge da carreira, ele tava começando.

A Informação que ele tinha dublado o Raphael em Tartarugas Ninja - O Filme, era mesmo falsa, eu que corrigi no wikipédia, na verdade o Laranjeira dublou um coadjuvante nesse filme, e curioso que no final tem a locução do Sodré, mas ele só menciona os 5 dubladores principais (Mauro Eduardo, Tatá Guarnieri, Eduardo Camarão, Wendel Bezerra e Rosa Maria Baroli).

Betarelli, Ivan D. disse...

Aqui também concordo com vc, Marcelo, acho que a projeção do Laranjeira deu-se na Álamo, nas séries dirigidas pelo Líbero/ Nair/ Baroli. Lá ele explodiu com seu talento.

Abraços.

Maurilio disse...

Teria como colocar as musicas completas? A segunda, que aparenta ser mais legal tem um trecho curtinho. Seria excelente homenagem postuma que essas musicas se tornassem publicas...
Abraço!

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Maurilio, obrigado pelo comentário. Amigo, infelizmente fica difícil fazer isso, pois é um material inédito e de uso única e exclusivamente de seus familiares, uma vez que ele não foi veiculado. Vou ver se consigo falar com alguém e se autorizam a postagem, daí atualizo o post. Abraços.

Anderson disse...

Parabéns a grande homenagem

Ricardo Akio disse...

Existe um artigo sobre ele na Wikipédia, será que o que consta nesse artigo é verdade, pois alguns artigos que constam na Wikipédia não são verdadeiros.

Betarelli, Ivan D. disse...

Obrigado pelo comentário, Ricardo.

Sim, infelizmente o que consta na Wikipédia, desta vez é verídico. Uma pena, pois se fosse hoje em dia, existem medicamentos que poderiam ter permitido que ele vivesse por muito tempo.

Ricardo Akio disse...

É mesmo uma grande perda.
Baixei 3 episódios de zillion que estavam no Youtube e pude conferir o excelente dele, é como se eu tivesse voltado no tempo, pois o vídeo é de gravações de VHS (aparecem até mesmo os ruídos da antena da tv de quem gravou e o nome GAZETINHA) sem contar as músicas, um grande clássico que agora tive a oportunidade de conhecer melhor.
Mudando um pouco de assunto, a moça que aparece com ele na foto é mesmo a Lúcia Helena, dubladora da Yellow Flash? Vi um vídeo recente dela, deve ser desse ano, e hoje ela está bem diferente.
Abraços.

Betarelli, Ivan D. disse...

Zillion é sem dúvidas uma excelente série. Uma pena que é quase impossível achá-la na internet, seja pra assistir ou baixar. E o que se acha, é com o áudio com qualidade ruim. Um excelente trabalho do Laranjeira, Camarão e Cia, que brilhavam na Álamo nos anos 80.

E sim, a da foto é a Lucinha. Realmente ela está diferente, mas não podemos esquecer que mais de 20 anos se passaram.

Anônimo disse...

Qual foi o motivo do falecimento?

Betarelli, Ivan D. disse...

Ele era HIV positivo, infelizmente. Faleceu de complicações pela doença. Foi uma grande perda para a arte, para os fãs, e principalmente para a família. Que Deus o tenha.

Rafael M. disse...

Olá Ivan!

Acabo de conhecer o seu blog e estou apaixonado por ele. Tenho 31 anos e desde criança sou apaixonado por dublagem e pelos seriados japoneses. Sou da época do Jiraya, Changeman, Jaspion e Patrine e alguns tantos outros, sendo que os meus 4 seriados japoneses favoritos são esses que acabaram de ser citados por mim. Gostaria muito de que um dia todos esses seriados pudessem ser lançados em DVD com qualidade de áudio e imagem perfeitos. Saudades da TV Manchete e destes seriados... Ê tempo bom que não volta mais... Gostei muito de saber mais sobre o grande Carlos Laranjira. Foi um grande dublador, pena que morreu. Você saberia dizer que ano ele faleceu e qual foi o motivo de tal falecimento? Agradeceria se pudesser me responder. Bem, hoje trabalho com pesquisa musical e descobri através de você que ele lançou um raríssimo LP. Desconhecia tal fato. Posso lhe pedir um favor? Você poderia enviar pelo meu e-mail rafalemolive@gmail.com qual é a relação de todas as faixas desse disco, quem são os compositores de cada uma dessas faixas, o ano de lançamento, por qual gravadora ele foi lançado e a capa e contracapa escaneadas em tamanho grande? Desenvolvo um trabalho de pesquisa para o site Memória Musical (www.memoriamusical.com.br) e gostaria muito de incluir esse disco na busca do site para pesquisa dos amantes de música e de músicoso em geral. Conto com a sua ajuda e compreensão quanto a este pedido meu e aguardo o seu contato. Continue com esse belo e árduo trabalho que você desenvolve em preservação da memória da dublagem brasileira, que é uma das melhores do mundo!

Abraços.

Rafael M. disse...

Ivan,

Apenas uma correção: Acabo de ver que passei o meu endereço de e-mail de forma errada. O correto é rafaelmolive@gmail.com

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Rafael, obrigado pelo comentário. Já te mandei um e-mail.

Abraços.

Ediba disse...

Parabéns pelo texto. A voz do Carlos Laranjeira faz parte do arquivo sonoro da minha infância. Depois de quase 23 anos voltei a assistir o anime Zillion e fiquei curioso pra saber se o dublador tinha morrido mesmo. É uma pena. Na época que o anime passava eu não podia assistir por que estudava pela manhã, no mesmo horário que o desenho passava no Show da Xuxa. É isso, valeu!

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Ediba. Faz parte do arquivo sonoro da infância de muita gente, pode acreditar.

Eu também não pude assistir Zillion na época da Xuxa, tampouco quando passou na Gazeta, mas tive o prazer de ver esse grande anime com essa dublagem maravilhosa recentemente.

Obrigado pelo comentário.

Rafael M. disse...

Sou o pesquisador musical de BH que falou contigo por e-mail em março. Consegui maiores informações sobre esse disco do Carlinhos. Segue abaixo:

Carlos Laranjeira

Álbum: "Carlos Laranjeira" (1991) (LP)

Gravadora: Children's Media Productions

1. Rock do B-A-BA (Nemon/Vladimir Petrofy)
2. Debaixo das Cobertas (Nemon)
3. Bala de Hortelã (Nemon/Odair Passos)
4. Coca E Poesia (Nemon/Petrofy)
5. Sinceramente (Nemon)
6. Eletrizando (Nemon/Odair Passos)
7. Como A Luz (Nemon)
8. Luzes Neonescas (Nemon)

Betarelli, Ivan D. disse...

Oi Rafael. Legal saber o nome dos compositores. A hora que eu tiver um tempo, pretendo voltar a pesquisar sobre este assunto, e não deixarei de te avisar sobre o que descobrir.

Um abraço.

Heros disse...

Grande trabalho! Sempre quis saber mais sobre esse e outros dubladores. Carlos Laranjeira foi um excelente dublador, marcou minha infância e é uma pena não estar mais entre nós. Seu papel mais marcante pra mim foi Yanin Spiker em Jiraya, sua voz suave formava um casamento perfeito com o estilo calmo do personagem, além de Spiker ser meu personagem preferido da série. Por sinal, creio ser a partir de Yanin Spiker que começa a confusão sobre Rafael no filme das Tartarugas Ninjas, uma vez que tanto Carlos Laranjeira quanto Eduardo Camarão dublaram Spiker, sendo que quem de fato dublou Rafael foi Camarão. E agora, fazendo pesquisa após um lapso da minha infância, descobri que Carlos Laranjeira trabalhou na dublagem BKS do filme Tubarão 2, ele é a voz de um dos mergulhadores que socorre o colega ferido no meio do filme enquanto os mesmos pegavam lagostas.

Ed.Yugo disse...

Eu fico imaginando se ele estivesse vivo na época da Dublagem de Cavaleiros do zodíaco. Ele poderia ter dublado Seiya ou Shun.

Sávio Morais Cristofoletti Desenhista disse...

Carta para um Colega Desorientado e sem Rumo.

Rafael Moliv,
Com todo o devido respeito e sem ofensas, ainda não assimilei a causa de você estar tão bolado comigo!
Porque, senão, nós iremos aos fatos:
01) Não perguntei nada a você e você já foi se insinuando como quem desejava provar algo a alguém, que, no caso, seria eu mesmo!
02) Você também não é nenhum especialista em artes, se fosse, saberia a diferença entre um desenho de criança e um desenho de adulto, bem como a diferença entre um desenho e uma pintura!
03) Certamente que você estava de gozação para comigo ao me afirmar que eu posto textos enormes, saiba você que sou escritor profissional e escrevo o tanto que ainda me for necessário!
Ademais, não sei nem a circunstância de você haver me enviado um e-mail bastante grosseiro, nem como foi que você achou meu blog com postagens falando de sua pessoa, mas se eu errei em continuar lhe mandando meu trabalho por e-mail já sabendo não ser de seu interesse, você errou mais ainda em me escrever uma série de coisas desagradáveis e antipáticas!
Se você não gosta que lhe digam coisas de que você não irá gostar, você também não deve dizer coisas do tipo aos outros se também já sabe que eles não irão gostar!
Eu costumo comentar as coisas com as outras pessoas para ver se elas se situam na realidade, não para perturbá-las e provocá-las, algo que, se não me engano, você ainda não compreendeu!
E, também, tem mais uma coisa: também não sei o motivo de você ter dito que "A gente pede para você não mandar mais e você continua mandando!", se você foi o único que fez o papelão de me enviar muitos e-mails para me encher e incomodar, por isso, veja se você me define quem são "a gente"!
Você usa um sobrenome fictício em tudo quanto é local da rede sem ser alguém importante, considerando que você não é artista, esportista, nem político e ainda vem exigir a mais absoluta privacidade na internet?
Lamentável, lastimável e louca sua atitude, você me conhece há tanto tempo para não entender que não possuo más intenções, o que me leva a crer que você não possui razão para estar furioso comigo até o prezado instante!
Apenas para finalizar, se você se desculpar comigo por me enviar um e-mail bastante grosseiro e me explicar como foi que você achou os links de meu blog, se eu não lhe mandei link algum, nem ao menos lhe contei ter um blog da internet, eu anulo seu nome de todas as postagens e não o emito mais!
Cordialmente,
Sávio Christi.

Por Sávio Christi, 18/09/ e 05/10/2015.