terça-feira, 30 de março de 2010

Parabéns, Lucia Helena

Março está sendo um mês de festa neste Blog, e a aniversariante de hoje é a experientíssima atriz Lucia Helena Azevedo, profissional com mais de 30 anos de carreira, e que atuou ativamente nos anos 80, nas séries japonesas e em diversos filmes e seriados. Possui uma carreira exemplar tanto em dublagem quanto na direção.


Filha de Yolanda Cavalcanti, uma rádio atriz muito conhecida, marcou a vida de várias gerações de fãs dando vida a dezenas de personagens inesquecíveis. Das dublagens de desenhos animados, a que mais me lembro foi a Lucy de Snoopy, na MaGa. Já em seriados americanos, lembro-me de sua personagem em O Elo Perdido, junto ao Nelson Baptista (que dirigia a dublagem da série) e Gilberto Baroli.


Em 1986, quando começou a dublagem de Jaspion/ Changeman, Lucinha - como ficou conhecida no meio artístico - foi escalada pelos diretores Líbero, Nair e Baroli, fazendo diversos papéis nas séries citadas e nas posteriores. Até mesmo no Anime Comando Dolbuck, chegou a emprestar a voz para a Arôma (no capítulo 01) e o garoto Jack, curiosamente classificado como menina na Versão Brasileira. Em Jaspion dublou a Sáti e a Kanôko. Em Changeman, fez pontas, a Aira, e foi a segunda voz da Nâna adulta até o fim da série. Mas debutou mesmo em Flashman, fazendo a linda, jovial e marcante personagem Sara, a Yellow Flash. Inclusive este trabalho é considerado por ela mesma como o melhor de sua careira.



A Dublagem de Flashman é tida por muitos fãs como a melhor dublagem de um tokusasu exibido no Brasil, pois juntou inúmeros talentos e cada dublador recebeu um personagem extremamente compatível com seu timbre de voz e interpretação. Essa dublagem repercutiu de forma tão positiva, que até mesmo internamente, o time da Álamo, liderado por Líbero Miguel ganhou um jantar do Sr. Michael Stoll, proprietário da empresa, em agradecimento ao empenho de todos. Em Lion Man (Laranja), dublou a Shinobú, e no Branco fez a voz da Saôri. Foi a Máira, Kazúmi, Hananin Agnes (1ª voz) e Janne em Jiraiya e a Chefe Yôko em Jiban, estrelando ao lado do saudoso Carlos Laranjeira. Nos seriados de 1991 e 1992, Lucinha participou pouco. Fez apenas uma ponta em Metalder, idem em Machineman e Goggle V, e papéis secundários em Sharivan.


Chefe Yôko (Jiban) e Hananin Agnes (Jiraiya), dois trabalhos inesquecíveis da atriz:



Dona de uma voz bonita e com um timbre marcante, atualmente dirige na DublaVídeo, empresa do João Francisco Garcia. Neste estúdio, entre outros trabalhos, assina a competente direção da série Prison Break, um sucesso inquestionável.

Sua interpretação continua com a mesma essência, mas um pouco mais grave, devido ao passar dos anos, com o envelhecimento natural da voz. Uma profissional idônea, conhecida e adorada por todos no ramo. Com os fãs, é de uma simpatia ímpar e atenção idem. Esporádicamente participa de eventos e já foi entrevistada no programa Tokusatsu Show. Foi a melhor amiga de Carlos Laranjeira, um dos maiores profissionais de São Paulo na época. Se não fosse por ela ter cedido a foto abaixo, jamais conheceríamos o rosto deste excelente dublador.

Ouça a voz da Lucia Helena em Jiban clicando aqui!

Ouça um comercial de rádio contendo as vozes de Yolanda Cavalcanti, Lucia Helena e João Francisco clicando aqui!

Parabéns Lucia, tudo de bom e muitas felicidades ao lado de seus amigos, família e fãs!

3 comentários:

G. HANOCH disse...

Excelente o seu site!...É muito bom saber que há mais pessoas assim como eu que admiram e valorizam essa tão respeitosa profissão...ou melhor: ARTE! A dublagem! Sou muito fã desta dubladora citada! (Lucia Helena)Ela tem uma voz além de linda e marcante...muito charmosa! É fantástica! E gostaria também de destacar essa última foto...Nossa, esse é o Carlos Laranjeira, o eterno Jiban, né...?! Que máximo!!! Sempre tive curiosidade em saber como ele era!...E vou confessar uma coisinha engraçada... eu costumava imitá-lo, às vezez, sabia...?!rs Mais brincadiras aparte...Fico feliz com essa homenagem e deixo aqui o meu grande apoio e aplausos ao seu site!... Sucesso!

Betarelli, Ivan D. disse...

Obrigado amigo, por pessoas como vc (e eu) é que me dedico a esse árduo trabalho de garimpar informações a respeito desses grandes profissionais.

A Lúcia Helena é uma gigante da dublagem, e logo logo vc verá mais sobre ela por aqui, aguarde.

Sobre o Laranjeira, infelizmente já não está mais entre nós, mas foi uma pessoa séria, leal e um excelente profissional. E quem nunca imitou uma fala dele fazendo o Jiban, por exemplo? Era um dublador com um tato muito aguçado, e que dava uma alma infinita para cada personagem que ele punha a voz. Dê uma olhada em minhas postagens que encontratá uma homenagem que fiz pra ele, com direito até a trechos de músicas de seu album que nunca foi lançado.

Abraços.

lucas disse...

O Carlos Laranjeira lembra um pouco o Naoto.